Progressões Traumáticas

Ep.12: Progressões Traumáticas | Tendências autodestrutivas.

Marianna reencontra Claudia, a menina do cabelo vermelho. Conhece o primo da nova amiga, rapaz interessante. Claudia volta para casa machucada fisicamente após sair com um velho conhecido.

Novo ânimo, baterias recarregadas, motivada para vender muito, Marianna chega cedo na loja.

Já no final da tarde, ao olhar no espelho Marianna tem um insight e pensa… “É incrível como nosso bem-estar influencia as pessoas. Hoje vendi a meta do dia e a meta de amanhã, quero continuar assim”.

Entrou alguém na loja falando alto, cumprimentando a todos. Marianna falou para Mônica, sua colega de trabalho.  

“Eu conheço esta garota de algum lugar”


“Ahhh é a Claudia, ela trabalhava aqui, mas pediu para sair”


“Simmm, é a Claudia, eu almocei com ela outro dia. Não tinham mesas na praça de alimentação, sentamos juntas por um acaso. Mas eu não sabia que ela chegou a trabalhar aqui”


Claudia diz que passou para convidar o pessoal para uma Rave no sábado à noite. Mônica convence Marianna a ir também. 

“Vai ser legal amiga”
, afirma Claudia com seus cabelos vermelhos.

A festa era no apartamento de um primo da Claudia.

Começou bem, boa música, todos conversando. Marianna se sentia deslocada, não era acostumada a frequentar baladas. 

O primo se aproximou e se apresentou afirmando que nunca havia visto Marianna com as meninas. Marianna sorrindo de forma tímida respondeu que era nova na loja. Durante todo o evento, rolou uma paquera entre Marianna e o novo amigo, dono da festa.

No dia seguinte, o assunto era sobre o affair entre o novo casal. Diziam que parecia rolar algo especial. Marianna desconversava o papo, ela até gostou, mas pensou que ele poderia ser muita areia para o caminhãozinho dela. Com medo de enfrentar e se decepcionar com a possibilidade, Marianna achou melhor ficar na dela e não alimentar expectativas.

Mas o grande babado da noite ainda não foi este. Durante a festa, Claudia atendeu uma ligação lá pelas tantas e foi embora. Mônica viu quando ela entrou em um carro. Preocupada com Claudia por já saber de alguns problemas, ligou em seguida, mas Claudia não atendeu.

Mônica inconformada ligou novamente ao amanhecer. Pronto! Tudo havia acontecido outra vez.  Claudia estava bem machucada, cuidando das feridas e chorando muito. Ela contou para Mônica que não resistiu e saiu novamente com um cara que gosta de fazer sexo e bater nas garotas.

Ao compartilhar o ocorrido com o grupo mais próximo das amigas, Mônica perguntava se havia como ajudar Claudia.  Marianna se sentiu mal com a informação e ficou se perguntand

"Por que uma pessoa sai com a outra sabendo que vai se machucar fisicamente?"

Dona Silvia ouvindo a conversa disse:

“Progressões traumáticas meninas,
progressões traumáticas...”
“…vocês precisam estudar um pouco mais sobre isso. As progressões traumáticas são consequências de um trauma, mais precisamente traumas de abuso sexual.”

Desde os doze anos de idade Claudia saía com vários homens, já se achava mulher o suficiente para ter namoros quentes. Dona Silvia tinha razão, comportamentos autodestrutivos podem ser em função das progressões traumáticas.

INFELIZMENTE, COM O AMADURECIMENTO PRECOCE, MUITAS GAROTAS INICIAM SUAS VIDAS SEXUAIS MUITO CEDO. NESTE CASO AINDA HAVIA UM AGRAVANTE, CLAUDIA SENTIA-SE ATRAÍDA POR HOMENS ABUSADORES.

Progressões Traumáticas

Autora: Sandra Barilli

Referência: Sándor Ferenczi

Ep. 12

Scroll to Top