Maturidade vs Infantilidade

Ep.09: Maturidade vs Infantilidade | A fruta bicada pelo pássaro!

Marianna se sentia com grande maturidade em alguns momentos, mas isso não acontecia sempre. Em alguns episódios se sentia culpada e decepcionada com ela mesma.

Fim de mês, pagamento na mão, a felicidade impera. Ao sair da loja no final do turno, Marianna resolveu se dar um presente: Um jantar especial na praça de alimentação, risoto de shitake.

“Ah que delicia”, pensou Marianna.

Andou pela praça de alimentação onde uma pessoa tocava música clássica em um piano bem no centro da praça. 

Sentiu uma alegria e, ao mesmo tempo nostalgia de um tempo bom que parece que nunca aconteceu de fato.

Mas aconteceu, lembrou ela após se dirigir para fila de espera para pedir o prato.

Muita gente na fila, mas Marianna estava concentrada na cena que veio a sua mente. Vovó Maria sentada ao lado da cama, contando histórias e dobrando calmamente o origami.

“Marianna, enquanto eu conto a história você tenta adivinhar que animal estou fazendo”.

“Aiii vovó é claro que é o meu preferido, o beija-flor… kkkk, você não me engana”
.

Estes eram os únicos momentos que Marianna se sentia criança, acolhida, amada incondicionalmente.

Fora isso, havia muita responsabilidade imposta. Uma adulta aos 6 anos de idade. A vez de Marianna fazer o pedido do risoto chegou. Acordando dos seus mais profundos pensamentos pediu seu prato preferido. Foi para mesa esperar ser chamada no balcão de pedidos e entregas.

As mesas estavam lotadas, uma mesa com apenas uma pessoa lhe chamou a atenção. Ao se sentar pediu licença. Era uma garota de cabelos curtos, pintados de vermelho. As duas começaram a conversar. Marianna se apresentou e Cláudia também.

“Hoje está bem lotado né?”,  comentou Marianna.
“Época de pagamento. Até outro dia”, respondeu Cláudia enquanto se levantava para descartar a bandeja.

Marianna notou estar demorando e foi até o balcão. Ao se informar soube a sua comanda havia sido extraviada e o prato não foi feito. Naquele momento, Marianna sentiu falta de ar, um frio na pele do rosto, coração batendo forte. Não se controlou, gritou como uma criança, discutiu no balcão e os olhos se encheram de lágrimas. 

Saiu com fome, andando rumo ao ponto de ônibus. A moça chamava no balcão pedindo desculpas e se propondo a fazer rápido, mas Marianna não deu ouvidos.

Já em casa, fazendo um macarrão rápido, pensava no que havia feito,  “Genteeeee, agi como criança, que arrependimento, sentirei vergonha ao voltar na casa de risotos”. Decepcionada consigo, Marianna come e se deita em posição fetal, como alguém que precisava ser acolhida.

AO PASSAR PELO TRAUMA DO ABUSO SEXUAL A CRIANÇA AMADURECE PRECOCEMENTE COMO UMA FRUTA VERDE BICADA PELO PÁSSARO, NA VIDA ADULTA POSSUI EPISÓDIOS BEM INFANTIS, UMA FALHA EM SEU DESENVOLVIMENTO. A FRUTA POR SUA VEZ, AMADURECE PRECOCEMENTE DE UM LADO E APODRECE DO OUTRO.

Maturidade x Infantilidade

Autora: Sandra Barilli

Referência: Sándor Ferenczi

Ep. 09

Scroll to Top