Sentimento de Fracasso

Ep.05: Sentimento de Fracasso | O pesadelo.

Marianna acordou com um sentimento ruim, uma sensação de perda, um nó na garganta. Um pouco de náusea impediu que tomasse café antes de sair para a loja.

O dia seria especial, época de pagamento no shopping, muitas vendas possíveis naquele dia. Não havia tempo para pensar no nebuloso pesadelo que pairava na sua memória em partes isoladas.

Assim, ela mantinha o sorriso no rosto com muita simpatia. Marianna era naturalmente empática e carinhosa. Odiava decepcionar as pessoas, mesmo que a estivessem maltratando. O aperto no peito aparecia quando tinha um minuto de calmaria na loja.

“Por que acordei hoje assim? Foi só mais um pesadelo!” se perguntava em pensamento.

No dia anterior quando voltava para casa, o cobrador do ônibus, que já contava com uma certa intimidade, disse a ela: “Você se torna eternamente responsável pela pessoa que você cativa”. Uma famosa frase de Saint-Exupéry. Para a maioria dos leitores do “Pequeno Príncipe”, trata-se de uma clássica frase extremamente rica de afetos positivos, mas para Marianna não era bem assim. Ela sorriu, sentou-se e sentiu um pouco de tontura. Dormiu cedo naquela fatídica noite que seria a noite do então pesadelo. 

Na calmaria de sua casa, senta para tirar os sapatos que já machucavam os pés. As cenas do pesadelo começam a vir na memória. Tudo muito confuso, o que era sonho, o que era memória pareciam se misturar.

Havia um buraco escuro e profundo onde Marianna escorregava em uma lama preta. Tentava se desvencilhar de um mato que parecia entrelaçar suas pernas. “Foi você quem quis”, dizia uma voz que falava baixinho quase sussurrando

Marianna, acordou com aquela voz assustadora que parecia ainda ecoar em seu ouvido.

Ela olha na estante ao lado da cama uma caixa toda de madeira com flores talhadas na tampa. A caixa estava cheia de pequenos papéis picados em tamanhos diferentes. Abre a tampa e pega um papel de cor rosa. Lentamente começa a dobrar. Enquanto dobrava, ouvia a voz de sua avó: 

“Filha, o origami é uma arte milenar, vou te ensinar o mais fácil de fazer, mas um dia você fará os mais difíceis com diversas dobras. A vida é assim: má, se não aprendermos os desafios fáceis terás dificuldades com os difíceis”.

“Aiii, vozinha parece que nunca aprendi nada, nem o fácil, nem o difícil”. Falou enquanto adormecia com a dobradura em sua mão.

INFELIZMENTE O SENTIMENTO DE FRACASSO PERSEGUE MUITOS ADULTOS QUE PASSARAM PELO TRAUMA DO ABUSO SEXUAL EM SUA INFÂNCIA. COM MARIANNA NÃO FOI DIFERENTE.

Sentimento de Fracasso

Autora: Sandra Barilli

Referência: Sándor Ferenczi

Ep. 05

Scroll to Top